Ficus na Rocha – Sekijoju

Este ficus foi retirado de uma rachadura de muro em março de 2006.

Primeiro a pequena muda foi colocada para se recuperar e desenvolver as raízes.

Em setembro de 2006, foi feito o trabalho de “pega” à rocha, deixando a planta enterrada com a rocha por um ano. Abaixo, imagens do trabalho realizado e 2 estágios de desenvolvimento. O vaso é apenas para treinamento.

Em abril, foi executado trabalho de desfolha e aramação.

1º a desfolha

2º aramação

Vista superior da distribuição dos galhos.

Na primavera este ficus vai para um novo vaso, bem mais baixo.

Atualizando – agosto de 2010:

Redução das raízes:

O bonsai foi colocado em um vaso maior, para treinamento, a fim de proporcionar maior desenvolvimento da estrutura da copa.

Setembro de 2012 – reenvase com troca de vaso. Vaso de Sami Kosan.

Grande redução de raízes.

Trabalho finalizado. Por enquanto.

Detalhe da “pegada” da raiz na rocha.

 

Maio 2014 – atualização

Esta planta acabou por perder seu formato e seu desenho não me agradava.
Fiz uma poda drásticas em todos os galhos e no ápice.
Aqui o regsitro dela rebrotada. Agora é selecionar as novas brotações para construir uma nova copa e um novo ápice.

DSCN2483_FB

Detalhe do crescimento e fusão das raízes na pedra:

DSCN2485_FB

Setembro de 2015

Por falta de cuidados a planta secou alguns galhos e acabou não ramificando como eu desejava. Assim, na entrada da primavera fiz uma poda drástica e recomecei do zero a estrutura da planta.

DSCN4997_WEBDSCN5000_WEBDSCN5002_WEB

Janeiro 2016 – brotando com toda a força.
Clique na imagem para ampliar:
DSCN5926_WEBDSCN5927_WEB

24 comentários sobre “Ficus na Rocha – Sekijoju

  1. Ricardo,

    O trabalho com esse ficus foi espetacular até agora. Acredito que, no futuro, o envase em um recipiente oval, de bordas mais baixas que o desse vaso de treinamento, agregará maior estabilidade visual ao conjunto, melhorando ainda mais o conjunto. Sem dúvida nenhuma, esse é um dos estilos mais adequados ao ficus, na minha humilde opinião. Parabens.

    • Valeu Nickyfury. Vou seguir sua dica para o vaso. Acho que já achei: oval, metade da altura deste, cor de terracota, marca literato. O que você acha?
      Abraços

  2. Olá, Ricardo, como vai? Acompanho sempre o teu blog. São ótimas matérias e bem completas. Sempre uso algumas fotografias como inspiração.
    Bem, eu vi a evolução do teu Ficus e fiquei curioso o seguinte o porquê você coloco a planta na garrafa PET e qual é o substrato que estava dentro do mesmo? Eu já vi várias plantas neste procedimento, mas com areia de construção, como substrato. Esta técnica pode ser feita com qualquer planta? Quais são as condições necessárias para esta utilizando a mesma? Obrigado e Parabéns pelo blog.

    • Olá Weverton.
      Muitas vezes a garrafa PET com areia é utilizada apenas para a planta se recuperar e emitir raízes. Como neste caso específico, o objetivo foi o de a planta gerar muitas e longas raízes. Algumas pessoas chegam a utilizar canos de PVC altos para isto. As raízes crescerão rapidamente (dependendo da espécie) e longas, ficando ideal para a´coplar elas na rocha.
      Esta técnica pode ser aplicada a praticamente todas as espécies apenas com exceção para as espécies que tem as raízes delicadas e que não aceitam manipulações como a Érica Chinesa. ABraços

      • Olá, Ricardo. Muito obrigado pela dica. Eu tenho uma azaleia pequena que está com pouquissímas raízes, tá bem ralinha de raízes, eu poderia usar esta técnica para que ela produzisse mais raízes e até poder plantar num vaso? A areia que vocÊ está usando é a de construção? Quanto tempo a planta fica neste procedimento para depois ser transplantada? Obrigado mais uma vez.

      • Olá Weverton. Para sua azaleia emitir mais raízes eu optaria por colocá-lo em outro substrato do que areia, colocaria ela num substrato 60% pedrisco (tipo de aquário – 2 a 3 mm) e 40% de terra preta de boa procedência. O resultado será melhor e mais rápido do que na areia. Abraços

  3. Ric.
    Poderia postar fotos deste último estágio, mas desfolhado, para que possamos ver as alterações na estrutura após a desfolha anterior?
    Grato.

    • Boa tarde Wellington.
      Esta planta já desenvolveu muito em 2 anos desde a última foto postada. Este final de semana ela foi podada e aramada. Vou fazer uma nova foto e postarei aqui.
      Obrigado por acessar o blog.
      ABraços

    • Claudio, como tenho a possibilidade de estar junto dos bonsai o dia todo, meu substrato é bem drenante e com pouco matéria que retenha muita umidade.
      Neste ficus utilizei 50% caco de tijolo, 20% de pedrisco e 30% de terra preta.
      Abraço

  4. Olá Ricardo muito bom!!!

    Na técnica de desfolha e aramagem, a desfolha é feita de que maneira? são arrancadas a folhas com a mão, retirando até o talo? ou são cortadas com tesoura e deixado os talinhos?

    desde já obrigado pela contribuição!!

  5. Olá Ricardo,

    Parabéns pela maneira de mostrar o seu trabalho !!!, este processo pode ser executado com outro tipo de Ficus, se sim, quais ?

    • Olá Otaviano.
      Pode fazer com qualquer ficus, exemplo: subulata (nerifolia), microcarpa, nítida, green island, boni, tiger bark, etc.
      ABraço

  6. Olá, muito linda sua planta.
    Como está agora?
    Estou com uma planta (tamarindo) que plantei em 2011 a partir de uma semente, agora está engrossando o caule mas os galhos não ramificaram de forma bonita, tenho poucos ramos, mas tenho medo de fazer essa poda drástica…
    Qual a melhor época para fazer? Quais os cuidados tomar?
    Obrigada e parabéns

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s