Adubação

 Esta é uma abordagem rápida e didática sobre a adubação nos bonsai.

 Algumas considerações importantes:

  • O bonsai é cultivado em vasos com reduzida quantidade de terra, criando assim um ambiente muito pequeno para as raízes. As dosagens de adubação devem ser reduzidas a 1/3 ou 1/2 indicados na bula do produto.
  • Também em função desta restrição, a freqüência da adubação deve ser bem regrada para que a planta não fique carente de algum nutriente.
  • O excesso de adubo pode ser muito prejudicial ao bonsai, pois ocasiona a queima das raízes, inclusive podem levar a planta à morte.
  • O adubo deve ser posicionado afastado da base do tronco.
  • Para uma correta adubação é fundamental conhecer as necessidades de cada espécie.
  • A boa adubação proporciona bonsai mais saudáveis, com boas florações e frutificações. Planta saudável, além de bonita, se torna mais resistente a pragas.

 Bem, vamos lá:

 O QUE É ADUBAÇÃO?

É a reposição dos nutrientes retirados do solo pelas plantas e pelas chuvas.
.
QUAIS OS TIPOS DE ADUBOS?

De forma geral existem dois tipos: 

  • ORGÂNICOS – São os oriundos da decomposição de matéria vegetal ou animal. É o melhor adubo para ser utilizado por iniciantes, pois são absorvidos de forma mais lenta, eliminando a possibilidade de excesso de adubo, que é prejudicial para o bonsai.Outra vantagem é a maior permanência no solo. 
  • INORGÂNICOS – Também chamados popularmente de químicos, são obtidos da extração mineral ou derivados de petróleo. Devido à alta concentração são aproveitados pelas plantas de forma mais rápida, razão pela qual devemos aplicá-los com conhecimento para não causarmos danos às plantas.

 QUAIS SÃO OS MAIS IMPORTANTES?

São conhecidos como MACRONUTRIENTES visto serem os principais para as plantas. Esta a razão de toda e qualquer formulação de adubos serem adotadas por “NPK”: Nitrogênio, Fósforo e Potássio. Eles podem ser encontrados em vários produtos orgânicos e inorgânicos, em concentrações diferentes. 

PRODUTOS INORGÂNICOS

Ricos em Nitrogênio (N)

  1. Salitre do Chile
  2. Sulfato de amônia
  3. Nitrocálcio
  4. Uréia

 Ricos e Fósforo (P)

  1. Superfosfatos

 Ricos em Potássio (K)

  1. Cloreto de potássio
  2. Sulfato de potássio

 PRODUTOS ORGÂNICOS

Ricos em Nitrogênio (N)

  1. Torta de Mamona – (5% de Nitrogênio)
  2. Húmus – É  resultado da decomposição de restos vegetais e pequena parcela de restos animais.
  3. Humos de Minhoca – Além de um excelente adubo é também um recondicionante das condições físicas e biológicas do solo.
  4. Farinha de Sangue (10% de Nitrogênio)

 Ricos e Fósforo (P)

  1. Farinha de Osso – é indicado para plantas floríferas e frutíferas, visto que o Fósforo é um estimulante para a floração e frutificação.

 Ricos em Potássio (K)

  1. Cinza de Madeira – também contém Cálcio e Magnésio. É quase imperceptível a presença de Nitrogênio e Fósforo.

 Outros produtos

  • Farinha de Peixe – Rica em Fósforo 9% e, em Nitrogênio 5%. Valores aproximados.
  • Estercos – São ricos em macronutrientes (NPK) além de incorporarem matéria orgânica. Nunca devem ser usados ainda frescos, é necessário curtir o esterco deixando secar ao sol por mais ou menos 30 dias. Molhe algumas vezes até que esteja totalmente fermentado.

 QUAL A FUNÇÃO DE CADA COMPONENTE:

  • N = Nitrogênio – Para brotação e enfolhamento ou seja, desenvolvimento da planta.
  • P = Fósforo – Estimulante da floração e frutificação.
  • K = Potássio – Fortalece as plantas tornando-as mais resistentes.

Além dos acima existem outros chamados de macronutrientes secundários:

  • CÁLCIO (Ca) – Ajuda no crescimento e funcionamento das raízes.
  • MAGNÉSIO (Mg) – Ajuda a constituir a clorofila e na formação dos açucares.
  • ENXOFRE – Componente essencial de todas as proteínas além de ajudar a manter a planta com um verde sadio.

E complementando, existem ainda os MICRONUTRIENTES. São também importantes para as plantas embora em menor quantidade. Vejamos alguns:

  • Ferro (Fe)
  • Boro (B)
  • Zinco (Zn)
  • Cobre (Cu)
  • Molibdênio (Mo)
  • Cloro (Cl)
  • Manganês (Mn)

É bom observar que tantos os macronutrientes como os micronutrientes são importantes para as plantas sendo que, a diferença está, somente, na quantidade necessária para as plantas.

Algumas dicas de adubos:

TM+FO – adubo orgânico. É a famosa dupla composta de torta de mamona e farinha de osso. Produtos facilmente encontrados podem ser utilizados da seguinte forma: 2 partes de TM + 1 parte de FO.

OSMOCOTE – adubo químico. São encontrados em várias concentrações de NPK. São pequenas “bolinhas” que ao receber a rega, liberam de forma lenta os nutrientes. Tem a vantagem de conter também os micronutrientes.

 Obs.: As quantidades variam de acordo com o tamanho do vaso.

Anúncios

Um comentário sobre “Adubação

  1. Meua caro Ricardo quero te dar os parabéns pelo seu espetacular trabalho neste blog. Sou iniciante nesta arte tão bela e conto sempre com você para me ajudar nas dúvidas. Obrigado pelas ótimas dicas!!!
    Sou do Rio de Janeiro.
    Forte abraço e fique com Deus!
    Marcelo Luz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s